sábado, 10 de novembro de 2012

Confusão entre os Fernando Correia Dias sociologo e artista plástico

Esta a foto do sociologo Fernando Correia Dias que acaba de falecer

Morre o professor emérito Fernando Correia Dias Qui, 13 de Setembro de 2012 17:15

A Universidade de Brasília perdeu, no último dia 8 de setembro, um pesquisador pioneiro da Sociologia da Literatura. Fernando Correia Dias, professor emérito da UnB e aposentado do curso de Sociologia, faleceu, aos 86 anos, em Belo Horizonte, em decorrência de parada cardíaca.
“Ele foi um professor extremamente sério, competente, sábio, dedicado à pesquisa. Tive a sorte de ter sido aluna dele na graduação e na pós-graduação. Seu trabalho tornou relevantes muitos acontecimentos que passavam despercebidos do grande público”, conta a professora Mariza Veloso Motta Santos, do Departamento de Sociologia. Mariza afirma que Fernando inovou, por exemplo, ao pesquisar a importância da formação de grupos e o lado subjetivo dos atores sociais.
Em 2003, Fernando foi agraciado com o prêmio Florestan Fernandes, criado naquele ano pela Sociedade Brasileira de Sociologia, em reconhecimento por seu valioso trabalho acadêmico. “Seu trabalho foi de importância internacional. Além disso, ele era uma figura maravilhosa. Todos que passaram por ele tiveram algum enriquecimento, sempre aprenderam algo”, afirma a professora Maria Stela Grossi Porto, que divulgou nota sobre o falecimento do professor. Leia aqui.
Fernando Correia Dias chegou à UnB em 1969 para integrar o quadro docente do Departamento de Sociologia. O vínculo com a UnB é relevante na família: sua esposa, Ady Álvares, foi professora do Instituto de Psicologia; sua filha, Ângela Correia Dias, é hoje professora da Faculdade de Educação; a neta Júlia Brussi é aluna de Doutorado em Antropologia; e o ex-genro, Antônio Brussi, é professor do Instituto de Ciência Política.
Antes de morar em Brasília, Fernando Correia Dias era professor de Sociologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Aposentou-se na UnB, em 1983, e voltou a morar em Minas Gerais, onde manteve-se em atividade profissional principalmente na área de pesquisa, como pesquisador sênior do CNPq.

FOTO DO ARTISTA PLÁSTICO
FERNANDO CORREIA DIAS
(PENAJOIA - LAMEGO 10/10/1892 - 29/11/1935 RIO DE JANEIRO)
eSTE O ARTISTA PLÁSTICO QUE AGORA SE HOMENAGEIA EM LAMEGO, COM EXPOSIÇÃO, E NO RIO DE JANEIRO COM O LANÇAMENTO DO LIVRO "FERNANDO CORREIA DIAS UM POETA DO TRAÇO" EDIÇÃO BATEL
 
Este artista plástico, que pertenceu ao Grupo de Coimbra (Cerveira Pinto, Luiz Filipe, Christiano Cruz), foi opioneiro do modernismo portugues, e depois, quando emigra em 1914 para o Brasil, aqui prossegue essa campanha revolucionária entre os artistas locais como pioneiro do design gráfico, ceramista, ex-librista, artes decorativas... Casar-se-ia com Cecília Meirelles e em 1935 morre tragicamente. Desde essa data que a sua obra tem estado esquecida, sendo agora finalmente revelada pela familia, ao abrir o seu espólio ao público.
 
 As confusões à volta deste nome tem sido muitas, inclusive na identificação de auto-caricaturas. Na realidade a de cima é Fernando Correia Dias, enquanto que a de baixo, que corre na net como sendo de Fernando, na realidade é um trabalho de Correia Dias, mas caricaturando Balha e Melo, outro artista que com ele partilhou a aventrura Coimbrã.
 
Esta não é a auto-caricatura de Fernando Correia Dias, é Balha e Melo

Sem comentários:

Publicar um comentário