sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLXI - Raphael Bordallo Pinheiro - O Cidadão e o Artista

Ed. Museu da Republica e Resistência 2005

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLX - Festival Internacional BD da Amadora 2005


Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLIX - IX Salão Luso-Galaico de Caricatura - Vila Real 2005

Capa de Pulo Araújo

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLVIII - XIX Salão Nacional Humor de Imprensa 2005

Capa de José Bandeira

Exposição Internacional de Cartoon no Forum Municipal de Castro Verde a partir de 6 de Março



Exploração e direitos dos trabalhadores, olhar crítico a traço de humor346 trabalhos, 112 artistas, 39 países.
Foi este o resultado do desafio lançado pelo Partido Comunista Português e pela Humorgrafe no âmbito da campanha nacional lançada em 2010 - «Lutar contra as injustiças – Exigir uma vida melhor», sobre temas como o emprego, salários e precariedade.
Num momento de crise e de ofensiva contra os direitos dos trabalhadores e de corajosas lutas pela sua defesa, esta exposição vem projetar a intervenção artística como parte integrante desta luta.
Um olhar crítico a traço de humor que reflete as diferentes reflexões filosófico humorísticas de artistas do mundo inteiro.

6 MAR a 4 ABR |Fórum Municipal |18h00
Horário da exposição: 2ª a 6ª: 09h00 às 19h00.
Org. Câmara Municipal de Castro Verde.
Parceria: Partido Comunista Português / Humorgrafe

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Super Herois em Banda Desenhada - Workshop de Nuno Saraiva


Rodrigo De Matos wins the PCE Grand Prix

Among the growing poverty and the hard austerity measures, the people in Portugal found a reason to smile: the national football team qualified for the World Cup in Brazil, to be played in 2014. - See more at: http://pce.presscartoon.com/en/accueil#sthash.KKmFs9hS.dpuf

The PCE (Press Cartoon Europe) is an initiative of the PCB (Press Cartoon Belgium) in association with the International Cartoon Festival held in Knokke-Heist, Belgium. This annual prize awards the best cartoon published in any European country. The competition is open free-of-charge to all cartoonists who publish in European newspapers, magazines or electronic media.
Press cartoonists are invited to register on the website before 1 January in order to participate. There is a first prize of 8,000 euros plus a bronze statue designed by the Belgian illustrator Ever Meulen. The award ceremony takes place at the opening of the annual International Cartoon Festival and the preview of the exhibition of the nominated cartoons, in Knokke-Heist. The cartoons also appear in a multilingual annual catalogue.
Grand prix : Rodrigo De Matos (Expresso, Portugal)
Second prize : Tjeerd Royaards (360, The Netherlands)

Third prize : Hajo de Reijger (NRC Handelsblad, The Netherlands)

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Crónica Rosário Breve - Equivalências adversativas em nome do Diabo por Daniel Abrunheiro

 Chamar universidade à Lusófona é o mesmo que chamar doutor ao Relvas. Fé na Virgem e o Diabo a correr. É como o Vara, por uns meros robalos, apanhar-se doutorado em Piscicultura. A Educação estropiada em antros afins, da pré-primária ao superior. Colegiais contratos-de-associação com paralelismo-pedagógico. Milhões públicos ao desbarato privado. Licenciaturas falsas como Judas pago a lentilhas corrupto-milionárias. Euromilhões do bacoco de província capaz de erguer um gimnodesportivo de cartolina para o futsal do 12.º sem esforço. Diplomas de carne-picada à bolonhesa segundo o tratante Tratado de Bolonha: faço de ti doutor-engenheiro mais depressa do que a desAssunção inEsteves há-de perceber o que seja um prefixo de negação. Para um imbecil académicoa praxe é um direito fundamental; para um imbecil jota todos os direitos fundamentais são referendáveis – imbecil por imbecil, a coisa compõe-se. Mas no dia em que a deficiência mental for por lei equiparada à deficiência motora, os palácios e os terreiros-do-passos vão ter uma data de rampas. Deixa-me ouvir o que diz o Marcelo que sabe disto. Especialista, ele também, do culto do instantâneo, da retórica frívola, da papagueação de encher-olho com a boca cheia de nada. Já tivemos Presidentes da República por bem menos. O Capucho corrido à pedrada pelos estalinistas cor-de-laranja. Mas o Rui Nunes, in Uma Viagem no Outono, a dizer que “O futuro onde estamos tem a iníqua alegria dos sacanas.” Pois estamos. Pois tem. Mas o Júlio Isidro, no Diário de Notícias de 17 de Fevereiro do corrente, a dizer que “Só as pessoas felizes é que são livres.” Pois são, elas sim, mas então aqui a gente vai toda presa, pois que a tristura nos algema olhos e mãos. O Stig Dagerman afiançando algures que “O jornalismo é a arte de chegar tarde o mais cedo possível.” Mas ser muito mais fácil o Cardozo marcar com êxito um penalty decisivo do que chamar jornalismo, por exemplo, ao Prós & Contras, programa em que tudo o que possa ser sério é arquivado para amnésia futura enquanto a sacerdotisa-de-serviço se arregala e saracoteia. A nossa dignidade derradeira estilhaçando-se em irrecicláveis despojos de granada-de-fragmentação. A República ser constitucionalmente laica mas ter e pagar na mesma uns milhares de euros ao, aliás reformado, próximo bispo-capelão das Forças Armadas. O País quase todo a barafustar contra o atraso do Porto naquele jogo da Taça da Liga – mas quase ninguém a vituperar o atraso de décadas do mesmo País de patuscos, i.e., Nós quase todos. O cómico-trágico desta pandilha litoral que tem por nome Portugal estar escarrapachado na implacável sucessão de encerramentos de tribunais, centros de saúde, escolas, oficinas – mas, só por nevar da pala de um campo-da-bola, ai-Jesus-que-falta-o-ar à carneirada. E tudo ilibado no caso dos submarinos: pelo que porta-aviões-da-Justiça ao fundo. Mais o paradoxo pulha de agilizar o despedimento com uma pata enquanto a outra (oh mas quão blandiciosamente!) drapeja a bandeirola do milagre económico. A Virgem correndo e o Diabo a rir-se. À privatização das águas, há-de seguir-se a do ar, a do sol, a da lua e a das mães deles, até agora públicas. As mães. Venda-se os Mirós todos mas não nos lixem a Joana Vasconcelos, essa nossa kitsch de últimos-socorros para basbaques parisienses. Explica-desenhar a cores aos drogados deste morredouro-de-seringas que o Caran d’Ache rima com haxe mas não é para fumar. A maldição de Circe, que foi a de transformar os homens em porcos, continuando viva e esperneante no Orwell dos porcos-ao-poder. A literatura de hipermercado acabando de esvaziar as mentes das professoritas do tal ensino particular sempre tão mortinhas por beijocar a boca-de-sapo do Sousa Tavares a ver se descobrem a que é que sabe a beiça de um príncipe-do-nada. A tal Lusófona a dar cobertura ao bisonho Bisonte-­dux-badameco do Meco e ameaçando processar os pais dos afogados por calúnia e atentado ao bom-nome da instituição. A Virgem a querer saber – Mas qual bom-nome? – e o Diabo a dizer-lhe – O meu, querida, pois de quem querias tu que fosse?

E tudo isto nos causar uma estranha espécie de surdez diurética, que consiste no já nem os podermos ouvir mas nos mijarmos a rir de todos eles na mesma.

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLIV - Humor d' arquitecte

2005 Comissariei esta exposição mundial de arquitectos caricaturistas para o Festival Humorãlia de Lleida

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLIII - Puro Açucar - Rui Pimentel

Prefácio deste álbum editado pelo Museu Municipal de Coimbra sobre Rui Pimentel

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLII - Ficções no ar do humor

2005 - Festival MouraBD

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CLI - O Animal Político

2005 - "Zoomorfismos na Sátira Política Portuguesa (Raphael Bordallo Pinheiro)

Humour de René Bouschet




Second Internacional Humour Festival Sunny Dragon 2014 _ regulations



segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Lançamento do álbum de BD - HAWK de André Oliveira

Segue o convite para o lançamento do meu mais recente álbum de BD, HAWK, na Sala Ogival do Castelo de São Jorge, dia 14 de Fevereiro às 18h.
Além de mim, estarão presentes Osvaldo Medina (que desenhou), Inês Falcão Ferreira (que coloriu) e Mário Freitas (que legendou e editou através da sua Kingpin Books).


Todos serão bem-vindos e prometo que haverão algumas surpresas...
(convite e mapa de acessos para o castelo em anexo)

No dia seguinte (Sábado dia 15), para quem gostaria de ter estado presente e não conseguiu por alguma razão (ou para quem quiser repetir a dose) estaremos todos na Kingpin's Late Cupid Party! que ocorrerá na loja da Kingpin Books (Rua Quirino da Fonseca, 16-B, junto à Alameda Afonso Henriques em Lisboa) das 14h30 às 19h.


Aí, faremos nova apresentação e sessão de autógrafos a partir das 16h.
Durante todo o evento haverá ainda mais momentos de interesse como a antevisão das novidades editoriais da Kingpin para este ano e até já para 2015, o anúncio do programa integral (eventualmente provisório) do festival Anicomics Lisboa 2014 e ainda um simpático desconto especial para casais na compra de livros e merchandise em (quase) todos os artigos.
Até lá, um abraço
André Oliveira
André Oliveira
andrealexandreoliveira@gmail.com
(+351) 916 302 971

domingo, 9 de fevereiro de 2014

"O que é o humor Gráfico?" de Osvaldo Macedo de Sousa / Lailson de Holanda e Camilo Riani já está nas bancas em Moçambique, Angola, Brasil e Portugal

Universidade Eduardo Mondlane (Maputo/Moçambique) e a Escolar Editora, sob Direcção de Carlos Serra criaram a colecção Cadernos de Ciências sociais (Escolar Editora)
Estando já nas bancas os livros  “O Que é Investigar?” e “O Que é a exclusão social?”, acaba de sair o nº 3 da colecção “O que é o humor Gráfico?” co-escrito por Osvaldo de Sousa | Lailson de Holanda | Camilo Riani
      ISBN: 9789725924082 Páginas: 86        Ano de Publicação: 2014      Editor: Escolar Editora

Sinopse

Um dos autores deste livro, o português Osvaldo De Sousa, escreveu que o cartune, modalidade de humor gráfico, “é uma extraordinária panaceia, dentro da política da medicina preventiva, essencial para a saúde mental de qualquer sociedade”.
Um segundo autor, o brasileiro Lailson Cavalcanti, observou que “o humorista gráfico toma o pulso do seu tempo através da sua análise crítica, percebendo o estado dos humores sociais do seu planeta, país, estado, província, cidade, governo, economia ou processo social.”
No que concerne mais especificamente ao poder, o terceiro autor, também brasileiro, Camilo Riani, referiu que o humor gráfico é uma “arma imediatamente ao alcance da mão.”
Digamos, então, que podemos ler e analisar o social pelos vários canais do humor gráfico; podemos dizer que o humor gráfico é um termómetro social que pode ser cientificamente estudado e exposto; podemos transformar o humor gráfico num descodificador de tudo aquilo que obscurece ou procura obscurecer vida, acto e sentido; podemos concluir que o humor gráfico contribui para a formação de uma cidadania capaz de conhecer e de se libertar – rindo sempre que possível, afugentado as agruras da vida lá onde isso se consegue - dos determinismos e dos espartilhos sociais.

_________
A colecção CADERNOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS pretende dar respostas a perguntas simples sobre temas complexos da vida social, com textos combinando simplicidade e rigor de autores de vários quadrantes do imenso mundo falante de português.

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CL - Fadas Láureas

Livro de Luís Louro (ilustrações) com a colaboração de dezenas de escritores, entre os quais tenho um texto.

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CXLIX - VIII Salão Luso-Galaico de Caricatura - Vila Real 2004

Com o tema Erotismo, a capa é de Leandro Barea

Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CXLVIII - VII Bienal da Caricatura Ourense 2004


Livros sobre Humor e caricatura com textos de Osvaldo Macedo de Sousa - CXLVII - 2ª Bienal de Humor Raiano Idanha-a-Nova 2004

Segundo e último, porque apesar da 3º ter sido anunciada e os artistas começarem a enviar trabalhos, um mês antes foi concelada pela autarquia. Capa de Nuno Beato (1º Prémio)

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Miró e a caricatura da crise portuguesa

Álvaro 
 Hermínio Felizardo
Adão Silva
Henrique

 Fernando Campos
 Hermínio Felizardo
Vasco Gargalo